Conselhos sobre a Surdez

  • Nas crianças, quanto mais cedo se detecte e estude a existência de Surdez, melhor.
  • Se aquando da gravidez ou durante o nascimento houveram factores e/ou situações de risco, normalmente no Hospital onde a criança nasceu, já deverão ter analisado a possibilidade da criança vir a ter problemas de Surdez. Quando a criança é atacada por meningite, papeira, sarampo e outras doenças similares, há sempre uma forte probabilidade de vir a perder a audição, em percentagens variáveis de ouvido para ouvido e de criança para criança, e neste caso logo os médicos analisarão assunto.
  • Em toda a criança que mostre um atraso acentuado no desenvolvimento da fala deverá ser estudada a probabilidade de existência de Surdez.
  • Idém, durante a escolaridade, se mostra consideráveis atrasos na aprendizagem ou se aparenta desequilíbrios de ordem mental.
  • Sempre que há perfuração do tímpano aparecerá uma Surdez de nível maior ou menor, segundo a afectação que a perfuração causou na membrana do timpano e no canal auditivo.
  • Qualquer problema que afecte a criança nos ouvidos deverá ser logo analisado pois poderá vir a implicar o aparecimento da Surdez.
  • Se existe deformação do pavilhão auricular (orelha), tal não significa a existência de surdez, mas deverá analisar-se bem a hipótese.

ATITUDE DO PACIENTE ANTE SITUAÇÕES DISTINTAS

A Informação seguinte é só orientativa. A atitude correta é ir de imediato consultar um médico especialista.


Situação surgida:

Surdez em Crianças
– Dores de ouvido ocasionais
– Sem supuração
– Resfriados frequentes

Diagnóstico orientativo:

Otite média (serosa ou mucosa)

Atitude a tomar:

Consultar um especialista


Situação surgida:

Surdez com paralisação facial

Diagnóstico orientativo:

– Complicações de otite média
– Mastoiditis

Atitude a tomar:

Ida ao Hospital


Situação surgida:

Surdez que aparece sobretudo em mulheres, durante a gravidez e vai aumentando gradualmente
– Podem surgir ruídos estranhos nos ouvidos
– Não há supuração
– Não existem dores nos ouvidos
– Existem antecedentes familiares (sobretudo mulheres)

Diagnóstico orientativo:

Otoesclerose

Atitude a tomar:

Consultar um especialista


Situação surgida:

Surdez em adultos que vai aumentando gradualmente do género “ouvir sem entender” e que não está relacionada com resfriados.
– Não há dor nos ouvidos
– Podem surgir ruídos

Diagnóstico orientativo:

Presbiacusia (Surdez que aparece com a idade)

Atitude a tomar:

– Tomar vitaminas A, B (leveduras de cerveja) e E (frutos secos crus e sementes de trigo)
– Consultar um especialista
– Usar uma prótese auditiva


Situação surgida:

Surdez em pessoas de meia idade que trabalham ou trabalharam em ambientes de poluição sonora e que é progressiva
– Não há dor nos ouvidos
– Não existe supuração

Diagnóstico orientativo:

Trauma acústico (trauma sonoro)

Atitude a tomar:

– Proteger-se do ruído
– Consultar um especialista


Situação surgida:

Surdez relacionada com os resfriados
– Sente melhoras ao bocejar
– Melhora ao soprar com a boca cerrada e tapando o nariz
– Pode, por vezes, aparecer depois duma viagem aérea o após um mergulho submarino
– Quando fala “sente” retumbar a voz
– Não há supuração nos ouvidos
– Nota pressão nos ouvidos (como quando se baixa bruscamente de nível)

Diagnóstico orientativo:

– Catarro tubárico
– Barotrauma
– Obstrução tubárica

Atitude a tomar:

– Tapar os ouvidos com tampões apropriados
– Mastigar chiclete sem açúcar
– Consultar um especialista


Situação surgida:

– Surdez brusca (geralmente só num dos ouvidos)
– Ruídos fortes nos ouvidos
– Podem surgir dores ou derrames

Diagnóstico orientativo:

Surdez brusca neurosensorial

Atitude a tomar:

Ir ao Hospital


Situação surgida:

– Surdez só num dos ouvidos
– Progressiva aumentando com o passar do tempo
– Afectando especialmente os sons agudos
– Provocando ruídos no ouvido afectado
– Podem surgir dores ou derrames nos ouvidos
– Podem surgir dores de cabeça

Diagnóstico orientativo:

Neurinoma acústico

Atitude a tomar:

Consultar um especialista

A Associação de Surdos do Porto (ASP), sendo uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), mantém os mesmos objetivos desde a sua criação, que é defender os Direitos das Pessoas Surdas para que fiquem em pé de igualdade dos demais cidadãos, bem como zelar pelos seus deveres.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked*

Contacte-nos