A Lí­ngua Gestual


Língua da Comunidade Surda

A Língua Gestual é uma língua de movimento e de espaço, das mãos e dos olhos, da comunicação abstracta assim como do contar de uma história icónica, mas o mais importante de tudo é que é a Língua da Comunidade Surda. Não se trata de uma nova Língua nem de um sistema recente de comunicação desenvolvido por pessoas ouvintes. Pelo contrário, trata-se de uma forma de comunicação que ocorre naturalmente entre pessoas que não ouvem. É uma Língua que até há pouco tempo tinha sido ignorada e por esse motivo subvalorizada no seu potencial. É diferente, muitas vezes impressionantemente diferente, das Línguas faladas, mas partilha características e processos gramaticais com muitas outras Línguas faladas. Difere das outras Línguas num dos aspectos mais importantes das suas características: não se baseia em palavras. (Kyle, J. G. e Woll B.)

Conhecimentos sobre o uso da Língua Gestual datam de há pelo menos 2000 anos no mundo ocidental, e talvez ainda mais cedo em escritos chineses. A fonte mais antiga em Inglês (1644) é de John Bulweis "Quirologia: ou a Linguagem natural da mão. Composta de "movimentos falantes", e de "gestos discursivos" a partir dos primeiros. Ao qual se acrescenta a Quironomia: ou a arte da Retórica Manual etc".

A Língua Gestual na Europa

Existem tantas ou talvez até mais Línguas Gestuais na Europa do que línguas faladas!

Contrariamente à crença popular, a Língua Gestual não é internacional. Cada país tem a sua própria Língua Gestual. Nos países onde existem duas ou mais línguas faladas, tais como a Bélgica e Espanha, existem o mesmo número de Línguas Gestuais. As pessoas surdas tal como as pessoas ouvintes, são educadas na Língua da sua região e raramente o serão numa outra língua do país. Por exemplo, na Bélgica, as pessoas Surdas flamengas são educadas em escolas de surdos flamengas e não nas escolas de surdos de expressão francófona, e vice - versa.

As Línguas Gestuais não dependem das Línguas dos seus respectivos países. Isto pode ser comprovado pelo facto de a Grã-Bretanha, Irlanda e os Estados Unidos serem todos países falantes de Inglês, mas terem Línguas Gestuais completamente diferentes. De facto, a Língua Gestual Americana (ASL) está mais próxima da Língua Gestual Francesa (LSF) do que da Língua Gestual Britânica (BSL). A explicação é simples: as raízes da ASL encontram-se em França, e não na Inglaterra.

É quase impossível determinar o número de utilizadores de Língua Gestual na União Europeia, pois não foram recolhidos dados nesse sentido, e existem muito poucas pesquisas quantitativas para nos reportamos. O número de gestualistas Surdos deverá ser mais ou menos o mesmo da incidência de pessoas Surdas pré- linguais, 1 por 1000/1500, apesar de nem todos os Surdos pré-linguais gestualizarem e, pelo contrário, alguns Surdos pós-linguais são gestualistas. Existe também um número significativo de gestualistas ouvintes.

? 2003 - 2021 Associa??o de Surdos do Porto