ASP - Associação de Surdos do Porto

Início

Pedido de Informações

Contactos

Pesquisa

| 21 Julho 2017  | 2017/2018 - PARA OUVINTES - CURSOS DE LGP - VER INFORMAÇÕES NA SECÇÃO "CURSOS DE LGP PARA A COMUNIDADE OUVINTE"     2017/2018 - PARA OUVINTES - CURSOS DE LGP - VER INFORMAÇÕES NA SECÇÃO "CURSOS DE LGP PARA A COMUNIDADE OUVINTE"     2017/2018 - PARA OUVINTES - CURSOS DE LGP - VER INFORMAÇÕES NA SECÇÃO "CURSOS DE LGP PARA A COMUNIDADE OUVINTE"     

Qualidade

Departamento de Formação Profissional

CIPS - Centro de Integração Profissional para Surdos

Cursos de LGP para a Comunidade Ouvinte

Quem somos? O que fazemos?

Notícias e Informações

Informações em LGP

Os desenhos do Goulão

Porto a Cidade que amamos

A Surdez

Atividades (Plano e Relatório) e Contas (Orçamento e Relatório)

Ai que Saudades...

Comissão Provisória de Gestão

Cultura Surda

Cultura, Lazer e Juventude

Desporto

Diversos/Informações

Educação

Estatutos da ASPorto

Funcionários

Histórias de Vida

Legislação

Língua Gestual

Seniores Surdos

Surdez Cegueira

Ctilg

Surdez Cegueira  | 

O bebé Surdocego


Se houver apoio à família para que seja orientada a manter um contacto com essa criança por meio dos sentidos que não foram lesados, e estimular os resíduos auditivos e principalmente os resíduos visuais, é possível que apresente um desenvolvimento bem próximo ao de uma criança Surda, desde que não haja outros problemas ao nível sensorial.

Ao bebé Surdocego faz muito sentido que a família, por meio de um toque afectivo, continue passando para ele informações do que vai acontecer, como por exemplo a hora de comer. Também o quanto é amado, brincadeiras que o façam sorrir, de forma que perceba sempre a presença do adulto.

Caso a criança apresente dificuldades na comunicação, existem muitos recursos e técnicas específicas para introduzir uma comunicação anterior à Língua Gestual, que ela pode desenvolver bem, e avançar até a comunicação por meio da Língua Gestual. Esse trabalho vai depender de um atendimento especial, e por vezes mais lento mas, por mais difícil que seja, sempre é possível descobrir uma maneira de melhorar a comunicação e aproveitar toda a potencialidade da criança ajudando ao seu desenvolvimento.

Adaptação de um texto de
FENEIS - Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos (Brasil)

Imprimir este artigo          Enviar este artigo por email

Para ler mais

Comunicação e Trabalho de Equipa na Surdocegueira: papel do Terapeuta da Fala

Gennet, a primeira Surdocega a atingir a Universidade em Espanha

Palestra-Debate sobre a Pessoa Surda e Surdocega

Dias Felizes

Contacto e-mail do Responsável do DAPSc

Casal de Surdoscegos casa após namoro pela Internet

Sou Surdocego e escrevo poemas...

Seminário Exclusão Social e Escolar do Cidadão portador de Surdez e Surdocegueira

Espanha reconhece a Surdocegueira como deficiência específica

Seminário "Preparar Hoje o Futuro: novos horizontes para a Pessoa Surdocega em Portugal" - As Fotos

O papel da Sociedade Moderna na Habilitação e Reabilitação da Pessoa Surdocega ? contributos da Casa Pia de Lisboa na sua concretização

Educação e Qualidade de Vida para a Pessoa Surdocega: Ultrapassando a barreira da "deficiência"

Alfabeto Manual da Pessoa Surdocega

American Foundation for the Blind

Surdocegueira e Múltipla Deficiência Sensorial

Um novo milénio, um novo olhar sobre a Pessoa Humana

Serviços de Apoio a Surdocegos na Europa

Ser Surdocego numa Sociedade que desconhece a Surdocegueira

Um Percurso de Vida

Helen Keller e a Surdocegueira

Helen Keller

Helen Keller e a Surdocegueira

APASCICE

A Vida de Helen Keller

O Surdo com dificuldades visuais

O Surdocego adulto

Causas da Surdocegueira

Quem é o Surdocego?

Comunicando com uma Pessoa Surdocega

1º Encontro Ibero-latino-americano de Surdocegueira e Multideficiência

Universidade Presbiteriana Makenzie - S. Paulo - Brasil

Objectivos deste Departamento

Surdoscegos europeus têm a sua União

O que fica de Helen Keller

Os Surdoscegos querem fazer-se ouvir

XIII Conferência Mundial de Surdocegos

Quem é José Pedro Amaral?

 

 

© 2003 - 2017 Associação de Surdos do Porto