ASP - Associação de Surdos do Porto

Início

Pedido de Informações

Contactos

Pesquisa

| 24 Julho 2017  | 2017/2018 - PARA OUVINTES - CURSOS DE LGP - VER INFORMAÇÕES NA SECÇÃO "CURSOS DE LGP PARA A COMUNIDADE OUVINTE"     2017/2018 - PARA OUVINTES - CURSOS DE LGP - VER INFORMAÇÕES NA SECÇÃO "CURSOS DE LGP PARA A COMUNIDADE OUVINTE"     2017/2018 - PARA OUVINTES - CURSOS DE LGP - VER INFORMAÇÕES NA SECÇÃO "CURSOS DE LGP PARA A COMUNIDADE OUVINTE"     

Qualidade

Departamento de Formação Profissional

CIPS - Centro de Integração Profissional para Surdos

Cursos de LGP para a Comunidade Ouvinte

Quem somos? O que fazemos?

Notícias e Informações

Informações em LGP

Os desenhos do Goulão

Porto a Cidade que amamos

A Surdez

Atividades (Plano e Relatório) e Contas (Orçamento e Relatório)

Ai que Saudades...

Comissão Provisória de Gestão

Cultura Surda

Cultura, Lazer e Juventude

Desporto

Diversos/Informações

Educação

Estatutos da ASPorto

Funcionários

Histórias de Vida

Legislação

Língua Gestual

Seniores Surdos

Surdez Cegueira

Ctilg

A Unidade faz a Força


  

      A UNIDADE FAZ A FORÇA é uma divisa que na Comunidade Surda se torna patente quando sai do utópico para a realidade e encaminhamento positivos da resolução dos problemas das Pessoas Surdas.
 
      Precisamos de unir todas as energias para não serem mal gastas pela dispersão. Há o máximo interesse em sermos nós, os Surdos, a tratar dos problemas causados pela nossa Surdez sem desdenharmos, quando necessário, os apoios e conselhos dos nossos Amigos da Comunidade Ouvinte, muitos dos quais altruisticamente colaboram connosco e são, por vezes, imprescindíveis para o normal desenvolvimento da Pessoa Surda.
 
      No entanto teremos de ser nós, os Surdos, a tomar a iniciativa. Terão de ser os Surdos a fomentar entre si um intercâmbio de dotações mútuas, de ajudas, trocas de experiências. Um Surdo pode dar ou receber de outro Surdo com ambos sentindo o comum anseio de servirem-se mutuamente para bem da Comunidade Surda. Um Surdo pode dar ou receber de outro Surdo a aprendizagem tocante a ideias, juízos, conhecimentos e encaminharem os mesmos para os mais humildes e necessitados...
 
      O mais necessário é que impere sempre a Solidariedade entre todos os Surdos e que não hajam rivalidades pessoais e, que é pior, a desunião. Que acções, convicções, sentimentos e pensamentos se expressem com plena consciência da Comunidade Surda, encaminhando o Surdo para o nível social, cultural e profissional que lhe corresponde e ele, o Surdo, reclama.
 
      Que cada Surdo estime e ame todos os outros acabando com as incompatibilidades pessoais, ódios e rivalidades que são sentimentos inconciliáveis com a solidariedade humana. Teremos de sobrepor o colectivo ao individual. Tudo deverá ser dirigido ao bem comum dos Surdos.
 
      Só assim será forte, sólida e real a nossa UNIDADE.
 
     Com a minha saída dos Corpos Sociais, não da Instituição que ajudei a criar e a crescer, uma nova Era vai começar. Sei que quem me vai substituir, ÂNGELO MANUEL DA SILVA COSTA, o fará com dignidade e, como eu..., olhando sempre para o Futuro mas tendo bem Presente o Passado de que TODOS os Surdos têm de se orgulhar.
    
5 de Janeiro de 2007
                                                (Ex-Presidente da ASPorto)  

Imprimir este artigo          Enviar este artigo por email

 

 

© 2003 - 2017 Associação de Surdos do Porto